CropLife Brasil: uma voz única do agronegócio

Com a presença de autoridades, indústria, academia e imprensa, foi lançada a CropLife Brasil, uma associação que representa os diversos setores que compõem o agronegócio, como a proteção de culturas, sementes, biológicos e a biotecnologia.

Banner site

Outubro 2019. O agronegócio brasileiro e seus indicadores de sustentabilidade são um exemplo no mundo; o desafio que temos é que a sociedade entenda isso e reconheça que o que fazemos com inovação e tecnologia é para a preservação do meio ambiente e a adoção de uma agricultura sustentável, afirmou o presidente do Conselho CropLife Brasil, Eduardo Leduc, também executivo da a divisão agrícola da BASF.

Na mesma direção, a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, destacou que o Brasil é uma potência agroambiental, mas tem um problema em comunicá-lo: "estamos perdendo a guerra narrativa por causa da desconexão com a sociedade, precisamos mostrar que nossos alimentos são seguros". A ministra aplaudiu a decisão do setor de integrar diferentes entidades em uma única associação, o que facilitará a comunicação com a sociedade, disse ela.

Promover uma comunicação mais eficiente e liderar os programas educacionais sobre Boas Práticas Agrícolas são os principais desafios da CropLife Brasil. O evento de lançamento destacou os paradoxos de um mundo no qual grandes quantidades de informações fluem, mas ao mesmo tempo sofre de uma ignorância abismal, especialmente em questões agrícolas.

Como mudar a conversa dos consumidores em favor da agricultura, como fazer as pessoas apreciarem as inovações alimentares como elas as apreciam em um telefone celular? Essas foram algumas das questões levantadas em sua palestra por Jack Bobo, membro do Conselho de Administração da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, que foi convidado para a cerimônia.

A ignorância da agricultura e da maneira como os alimentos são produzidos é generalizada entre os consumidores, ao que se somam fenômenos como os medos tão populares nas redes sociais, alimentados pela confusão nos conceitos de "risco e perigo", que hoje deveriam ter um entendimento elementar. Nesse cenário, os argumentos científicos têm poucas oportunidades de mudar a percepção do público em geral, concluiu o professor, que fez uma chamada para os consumidores a consultar fontes confiáveis e a verificar as informações. 

Para atingir os objetivos de comunicação mais eficiente para a sociedade brasileira, a CropLife Brasil avança na integração de entidades como a Associação Nacional de Defesa Vegetal (ANDEF), a Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico (ABCbio), a  Associação das Empresas de Biotecnologia na Agricultura e Agroindústria (AgroBio) e o  Conselho de Informação sobre Biotecnologia (CIB). "Representaremos todas as tecnologias disponíveis para os agricultores, trabalharemos para que eles possam usá-las, de acordo com a necessidade", disse Christian Lohbauer, presidente executivo da CropLife Brasil.

A nova entidade conta com o apoio da CropLife International e faz parte da rede global da Indústria da Ciência das Culturas, com presença em 91 países. Seu site é www.croplifebrasil.org