Produzir mais em menos terra, reduzir a pegada ambiental da agricultura, colher alimentos abundantes, saudáveis e seguros com a ajuda da ciência e da tecnologia são alguns dos pilares da "Agricultura Moderna", que hoje está transformando grande parte das áreas agrícolas da América Latina.

No entanto, vivemos em num cenário em que a agricultura moderna é incompreendida e pouco valorizada nas grandes cidades e zonas urbanas, apesar de receber diariamente TODOS os seus benefícios. Esta situação exige que aqueles que trabalhamos na cadeia agrícola atuar para conscientizar e ganhar a confiança e o reconhecimento dos consumidores.

Se os consumidores perguntam quais são os controles e as regulações do setor agroquímico, podemos dizer categoricamente que é um dos setores mais regulados do mundo e que podem reconhecer e confiar no trabalho das autoridades reguladoras que avaliam constantemente os processos de registo ou autorizações de venda de cada produto. Não são poucos os controles e estudos que as autoridades de cada país demandam como suporte para cada pesticida antes que ele chegue ao mercado.

A agenda regulatória dos produtos fitossanitários tem a sua base sólida na ciência, e avança a par das discussões, reflexões e conhecimentos científicos mais recentes. É um trabalho árduo e intenso que permite o acesso a novas tecnologias que atendam aos requisitos rigorosos de segurança para a saúde e a sustentabilidade. Destacamos em 2016 o diálogo transparente e periódico que tivemos com as autoridades; trata-se de processos de compreensão mútua que resultam na entrada de novos produtos desenvolvidos com tecnologias avançadas, para atender as demandas que os agricultores precisam para controlar as pragas e garantir produções seguras e de alta qualidade.

Um desafio para as autoridades que hoje exige maior atenção é o comércio ilegal de pesticidas. O contrabando, a contrafação e a falsificação de pesticidas são um problema crescente com consequências negativas para a saúde humana, o meio ambiente, as culturas e a economia. Em 2016 a Agencia das Nações Unidas contra o Crime Inter-regional, UNICRI, estimou que pelo menos 15% do comércio global de pesticidas, corresponde a produtos ilegais. É imperativo combater eficazmente o crime organizado, para o qual é essencial a coordenação entre as autoridades nacionais, associações agrícolas, indústria e agências internacionais.

Se o consumidor pergunta o que acontece com as embalagens vazias de pesticidas no campo, podemos dizer-lhe que a América Latina é líder mundial na reciclagem destes plásticos, e em alguns países as autoridades tem concebido legislação pós-consumo que confere corresponsabilidade aos usuários para o descarte adequado desses materiais. Em 2016 Argentina e El Salvador avançaram com propostas legislativas nesta matéria. 

A segurança alimentar é uma das principais preocupações dos consumidores de hoje, e podemos dar-lhes a confiança de que hoje temos vários esforços para promover uma melhor aplicação das Boas Práticas Agrícolas nas culturas de todas as escalas. Os agricultores estão agora mais conscientes da importância da segurança das suas colheitas como nunca antes na história. Em 2016 nossas sessões de formação para agricultores, aplicadores de pesticidas e distribuidores sobre o uso responsável dos produtos, ganharam maior cobertura através de parcerias com outras organizações. Devemos acrescentar a explosão de aplicações digitais para a agricultura, cuja eficiência é possível graças a um maior acesso à internet móvel na América Latina.  

Com a agricultura moderna abrem-se novas oportunidades de desenvolvimento para as comunidades rurais, para os agricultores de todas as escalas de produção e para os consumidores que exigem alimentos abundantes, saudáveis, seguros e a preços acessíveis.

Esta tarefa de informar o consumidor e ganhar sua confiança apenas começa. Seja parte deste esforço em todas as conversas e oportunidades que você poda, torne-se um promotor da agricultura moderna como uma importante atividade socioeconômica para o desenvolvimento. Junte-se a nossa campanha #O Fazendeiro Primeiro. Se não é você, quem?



Eduardo Estrada

Presidente do Conselho

 

José Perdomo

Presidente Executivo

  

Esta é a carta dos presidentes de CropLife Latin America.

 


Para ver a imagem completa Clique aqui.