Apicultores e agricultores, a comunicação é a chave para a proteção das abelhas

 

  • Um terço do cultivo de alimentos no mundo depende da polinização.
  • O diálogo e a colaboração entre agricultores e apicultores contribuirão para a saúde das abelhas.

 Protección-Abejas

 

2018

Incentivar o diálogo e a colaboração entre agricultores e apicultores deve ser uma tarefa constante para o êxito na proteção das abelhas, a coexistência e o benefício mútuo das duas atividades.

Os números indicam que as abelhas são indispensáveis para a produção alimentícia, a sustentabilidade, o meio ambiente e a biodiversidade. Pelo menos um terço da polinização da produção de alimentos no mundo e 80% da polinização das flores silvestres ocorrem graças as abelhas e a outros polinizadores como: vespas, formigas, borboletas, escaravelhos, morcegos, beija-flor, mariposas, dentre outros. Há registros de que existem pelo menos 20.000 espécies de abelhas, das quais, trinta delas são da espécie Apis mellífera, conhecida pela sua alta produção de mel, própolis e geleia real.

Estes insetos são ameaçados por vírus, bactérias, outros insetos, e mudanças climáticas, deficiência de nutrientes, diminuição do seu habitat e práticas apícolas inadequadas. Para José Perdomo, presidente da CropLife Latin America, é importante que os agricultores e os apicultores implementem boas práticas apícolas e agrícolas, estejam constantemente em contato e tenham senso de colaboração mútuo. No fim, estas práticas resultarão na coexistência das duas atividades e a proteção das abelhas e polinizadores.

É importante que os apicultores conheçam os cultivos próximos a suas colmeias, distância máxima de 1 quilômetro – pois são uma fonte de alimento para as abelhas. Forneçam zonas de alimento com pólen e néctar e inspecionem as colmeias regularmente para controlar as doenças e infestações de ácaro como o Varroa, principal causa da morte de abelhas em todo o mundo.

Por sua vez, recomenda-se que os agricultores tenham em mente que devem identificar os polinizadores do território onde se encontra o cultivo, conhecer os hábitos de forrageio e promover práticas seguras de pulverização para não afetar os polinizadores. Ainda assim, implementar o plantio de plantas com flores próximo ao cultivo, ação esta que pode aumentar em 30% a produtividade, graças a uma boa polinização.

A CropLife Latin America está comprometida com a proteção das abelhas e busca incentivar o diálogo entre apicultores e agricultores por meio de material didático, no qual encontra-se o vídeo “Agricultores e apicultores, unidos pela saúde dos polinizadores”.

 

Junte-se a proteção das abelhas a partir da agricultura e siga estas recomendações:

  1. Melhorar o habitat dos polinizadores cultivando canteiros de flores e mantendo fileiras nas bordas e espaços sem aplicação.
  2. Implementar um plano de manutenção integrada de pragas para aplicar pesticidas somente quando seja necessário.
  3. Informar antecipadamente os apicultores locais das aplicações, deste modo, as colmeias próximas podem ser realocadas ou protegidas.
  4. Utilizar somente produtos certificados e alerte as autoridades sobre produtos adulterados ou ilegais que causem impactos desconhecidos na vida silvestre.
  5. Seguir as instruções da etiqueta para utilizar a dose correta. Evite aplicar durante condições do vento para prevenir o retorno de borrifo ou pó.
  6. Utilizar equipamento de pulverização reduzido, em bom estado de manutenção e calibrado.
  7. Evitar contaminação de sprays durante a mistura e o descarte apropriado dos resíduos e outros materiais utilizados.
  8. Evitar a aplicação de pesticidas quando as abelhas estejam forrageando e quando as plantas estejam em floração.
  9. Minimizar a pulverização do pó das sementes tratadas, retirando-as dos sacos. Utilize equipamento de plantio que elimine a produção de pó e mantenha o equipamento regularmente limpo.